Textos em Travessias: poesia de Nádia Alcalde

Nádia Alcalde

Eu sou aquela que chega em casa e arranca o sutiã;

Aquela que procura o óleo, o trigo e não encontra...

Já sei, lá vem mais uma bronca:

- Que casa bagunçada, uma vergonha,

veja, pelo menos, se você arruma de manhã...


Eu sou aquela que erra a receita, mas nem por isso é menos cidadã;

Qual o problema em ser contra?

Amassa, se suja, avisa que só cresce se colocar no forno e o resto do tempo é no divã;


Me diga, longe do ideal ou incompreendida?

Que pena, falta sal, parece sem acabamento;

Será mesmo isso, ou só não é o meu momento?


Pode até chamar de empoderamento;

Ou se preferir cultura de cancelamento...

Tanto faz, o negócio aqui é ser divertida, o pão tá pronto e chega desse casamento!


(poesia escrita por Nádia Alcalde, para aula do Travessias Textuais)



Image by Maëliss Demaison


52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo